quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Conversei com Scracho antes da passagem de som, sábado passado (12.09) no Hangar 110, em São Paulo. A Banda falou sobre o assédio dos fãs, os shows, a estreia do DVD ‘Mtv Apresenta Scracho’, que rola o mês que vem. E muito mais!


CG. Por mais que vocês sejam classificados como banda de rock no álbum de vocês é bem diversa a classificação musical. As influências estão no rock e no reggae. De quem foi a ideia de misturar ritmos? Como foi a criação?

Diego: Cada um gosta de uma coisa, a gente mistura tudo. E sai o nosso som.

Dedé: Todo mundo gosta de rock e reggae. Então assim, com o tempo começamos a ouvir outros estilos diferentes que acabaram interferindo. E não foi uma coisa de cada um, e sim de todos da banda.

CG. Dentro do cenário de bandas independentes, no inicio da carreira de vocês era mais favorecido as oportunidades de shows no Rio ou em São Paulo?

Diego: A gente começou fazendo show no Rio. Tocando no colégio, depois em outros colégios, e em festas. Que basicamente foi onde começamos. Nosso primeiro público foi no Rio. Por causa da internet pessoas de São Paulo começaram a escutar também a banda. E o nosso primeiro show fora do Rio, foi em SP. Depois disso foi se espalhando pra outros lugares como em Curitiba, Minas Gerais, Nordeste...

Dedé: E tocar em SP foi uma coisa muito boa, porque havia muitas pessoas querendo que tocássemos. E é um dos lugares que a gente mais gosta de tocar, é muito maneiro.


CG. Hoje em dia a divulgação da banda pela internet é fundamental para a entrada no mercado musical. Vocês acham que downloads gratuitos das músicas pela internet interferem na venda de CDs do Scracho?

Diego: Interferir. Interfere.

Dedé: Mais acho que hoje em dia o nosso interesse é que as pessoas conheçam mais o nosso trabalho, o principal foco não é somente de que as pessoas comprem o nosso CD. É um assunto polêmico, mais com certeza acaba favorecendo muito na divulgação. O que é bom pra gente.

CG. Como foi para você Dedé, receber o prêmio de Melhor Instrumental na Premiação do MultiShow?

Dedé: Foi muito legal e uma surpresa muito grande. Eu sou uma pessoa muito otimista, por natureza. E claro que cheguei até pensar, e vi as pessoas se esforçando muito pra isso, como os fãs na comunidade. Elas estavam muito empenhadas e por isso já tinha ficado muito feliz. E até muito agradecida de ser indicada, e no dia que indicaram meu nome foi surreal, nunca poderia imaginar. É inacreditável hehe

CG. Vocês prometeram um mico pela premiação. Quando vamos dar boas risadas?

Dedé: Na verdade, quem fez a promessa foi o Diego. Ele prometeu que caso eu ganhasse o prêmio, nós quatro iríamos pagar um mico só como recompensa. Tivemos uma ideia ontem no ensaio (11.09) e quando a gente voltar pro Rio vamos grava.

CG. Como que foi receber o convite para a gravação do Mtv Apresenta?

Diego: A gente não tinha ideia que isso iria acontecer. O nosso projeto era explorar as músicas do primeiro álbum, como ‘Morena’ que é uma música para trabalhar ainda. Produzir o novo álbum, começando a fazer músicas inéditas e com letras novas. E quando pintou esse convite foi uma coisa que a gente não esperava e que não estávamos planejando. Mais as melhores coisas acontecem assim. E quando a gente se deu conta do tamanho do projeto que era realmente para apresentar o Scracho para as pessoas, foi muito legal. E deixamos de lado um pouco o projeto das inéditas para se dedicar ao DVD.

Dedé: Foi maravilhoso. Fora que grava um DVD é muito bom.

CG. Há duas inéditas no DVD Mtv Apresenta e os fãs estão ansiosos para saber. Fora a expectativa que está grande para o inicio das vendas no próximo mês. Vai rolar algum álbum junto com DVD?

Dedé: Vai rolar um CD junto com o DVD sim.

Diego: E as inéditas são do estilo Scracho hehe Pegamos as que em parte estavam mais prontas e que a gente gostava mais. Não está definindo o estilo para o novo álbum. E como o Mtv Apresenta é para mostrar o Scracho para um público que ainda não conhece, então o núcleo é ainda do nosso primeiro CD, mais pra divulgar. E sabemos que os nossos fãs querem músicas novas, por isso colocamos ‘Bom Dia’, que está na internet em versão acústica, e no DVD está com banda. Fizemos um cover da banda Novos BaianosA Menina Dança’ com a Débora cantando, recuperamos mais duas músicas que não estavam no CD ‘A grande bola azul’.

Caio: Na verdade a gente está complicando mais ainda. Nós viemos para complicar hehe

Dedé: As músicas são diferentes e são parecidas, mais não são a mesma coisa hehe São duas músicas que a gente se amarra e como o Diego falou não mostra como vão ser as próximas do novo álbum.

CG. Os fãs da banda têm aumentado a cada dia. E com isso aumenta a agenda de shows e compromissos. Que por exemplo, nesse último final de semana vocês fizeram três shows em São Paulo. Como estão lidando com essa nova rotina?

Dedé: Estamos na correria e sempre tentando dar conta do recado. A gente está sempre buscando fazer shows diferentes. Como o projeto do Mtv que tivemos que nos dedicar muito, ensaios e gravação de música nova. E sempre tem coisa pra fazer. Um dia sempre é diferente do outro, acontece mais ou menos assim, sempre tem algo pra fazer. Mesmo quando não tem nada, só você entrar na internet dá pra você fazer coisas pela banda.

Diego: A gente sempre quer mais tempo e não temos hehe Não tem rotina.

CG. Vocês vão tocar o segundo ano consecutivo no Evento da Revista Capricho – NoCapricho/SP. Vocês acham que essa é uma prova do reconhecimento do público sobre a música de vocês?

Diego: Na real mesmo? É porque a gente é muito bonito hehehehehe Quatro pessoas lindas e super na moda.

Dedé: Na verdade a Revista Capricho é uma revista feminina...

Diego: E justamente por ser uma entrevista feminina, é por nossa culpa hehe (Apontando para o Caio e o Gabriel).

Dedé: Foi muito muito legal o show no NoCapricho e agente também está com muita expectativa pra esse ano de novo. A gente fica muito feliz.

Diego: O legal é que também tem menina que lê Capricho, gosta de Scracho e não pode ir aos shows. E o NoCapricho acaba sendo uma oportunidade dos pais deixarem ir.

Dedé: Acaba atingindo um público diferente também. E muita gente que vai estar lá só pelo evento e vai conhece a banda. É outro tipo de show e pra gente é uma oportunidade boa, porque a Capricho é uma revista divulgada.

Diego: Eu percebi o ano passado tinha muita gente que conhecia Scracho, mais nunca tinha ido ao show. Apesar da gente já ter tocado no Hangar 110. Fica bem mais acessível, e é mais fácil convencer uma amiga que não gosta de Scracho, dizendo que vai rolar várias atrações. É um evento muito bom para banda tocar.

CG. Vocês mantêm uma relação muito próxima dos fãs. E por estarem na mídia, rola algum assédio, a ponto de incomodar?

Caio: Assédio Bom! Hehehehe

Diego: Quando o assédio é saudável. Como quando um fã diz que gosta da banda, das músicas, que somos importantes, ou que as letras da banda têm um significado pra eles. Às vezes quer um abraço, uma foto, um autógrafo... É legal. Agora quando colocam a gente em um pedestal é meio assustador.

Dedé: Na verdade é isso mesmo. Temos uma relação de muito respeito com os fãs e eles nos respeitam muito. Estamos sempre tentando estar em contato com eles, é muito bom esse carinho. Estamos sempre à disponível pra conversar, tirar foto com quem quiser, pra gente é sempre um prazer.


Por Cintia Guccih . Fotos Divulgação Scracho / Bruno Massao / Caio Paifer / Cíntia Guccih

Um comentário:

✖ César A. ★ disse...

Otiima Entrevista Ciintia!
Ahasando como sempre.

Promoções

Entrevistas

Resenhas